Quantum redactiones paginae "Ludovicus Carolus de Morais" differant

Summarium vacuum
Poeta quoque est, et titulus unius librorum eius est ''Pindorama''. Alii libri: ''O Olho do Ciclope'' (de [[philosophia]]), ''O Homem Secreto'' (novella) et ''Larapio'' (poema).
 
De ''O Olho do Ciclope'' (''Cyclopis oculus'') scripsit: "''This is a study about the brazilian writter and poet Oswald de Andrade's work, in which two subjects of his production are specially relevant for its purposes and consequences: the first theme is the anthropophagy, a concept created by him to think social and artistic reality of Brazil, meaning its people and subjetivity like heirs as much of the europeans’ racionalist cultural tradiction such as of the american indians’ and african negroes’ no messianic and vitalist alternative reasons. We can think ourselves as a people endowed of the capacity of reorganize and synthesize all those assymmetric and divergent sources in an original way. The second one is that the cinema is a machine to create new sensibilities and to favour the transcendental exercize of the human faculties: it joins hardly to the oswaldian text, in a kind of cinematoptic anthropophagy''."
 
==Publicationes==
===Libri===
*''Crisólogo: O Estudante de Poesia Caetano Veloso'' ([[2004]])
*''Proteu ou: A Arte das Transmutações - Leituras, Audições e Visões da Obra de Jorge Mautner'' (2004)
*''O Homem Secreto'' (fabula Romanensis)
*''O Olho do Ciclope <ref name="Citação">"Este é um estudo sobre o escritor e poeta brasileiro [[Oswald de Andrade]], cuja obra apresenta dois aspectos especialmente relevantes, por seus propósitos e consequências: a antropofagia, conceito criado por ele para pensar a realidade social, cultural e artística do [[Brasil]], que considera seu povo e sua subjetividade como herdeiros tanto da tradição racionalista européia quanto das razões alternativas não-messiânicas dos índios americanos e dos negros africanos. Podemos nos pensar como um povo dotado da capacidade de reorganizar e sintetizar todas essas fontes assimétricas e divergentes num modo original. A segunda é o cinema considerado como uma máquina capaz de criar novas sensibilidades e favorecer o exercício transcendental das faculdades; isto se liga fortemente com o texto oswaldiano, num tipo de agenciamento maquínico que nomeei de 'antropofagia cinematótica''"</ref>(philosophia)
*Pindorama e Larápio ([[poesis]])
 
===Opera===
*''Proteu ou A Arte das Transmutações - Leituras, Audições e Visões da Obra de Jorge Mautner''<ref> RioFlumine de JaneiroIanuarii: HP Comunicação, 2004</ref>
*''Larápio''. <ref>[[RioFlumine de Janeiro]]Ianuarii: KroArt, 2004</ref>
*''Pindorama'' <ref>RioFlumine de JaneiroIanuarii: Litteris, 2004</ref>
*''Crisólogo - O Estudante de Poesia Caetano Veloso''. <ref>RioFlumine de JaneiroIanuarii: HP Comunicação, 2004.</ref>
 
===Res===
*''Proteus in Mitologia do Kaos''. <ref>RioFlumine de JaneiroIanuarii, Azougue. [[2002]].</ref>
*''Metapensamento''. <ref>RioFlumine de JaneiroIanuarii: Tecnogaia n° 0 .[[2005]] </ref>
*''O Centauro Filosófico''. <ref>RioFlumine de JaneiroIanuarii: Tecnogaia, n° 1. [[2006]]. </ref>
*''Os Onze Bastardos''. <ref>RioFlumine de JaneiroIanuarii: Tecnogaia, n° 2. [[2007]]. </ref>
*''A Aula: o Afeto, in Pensar de Outra Maneira''. <ref>RioFlumine de JaneiroIanuarii: Pazulin. 2007. </ref>
*''O Multimídia Tropicar de Tom Zé''. <ref>RioFlumine de JaneiroIanuarii: Documenta n° 1. [[2008]]. </ref>
*''O Mago Artificial Rubem Fonseca''. <ref>RioFlumine de JaneiroIanuarii: Intersignos n° 1. 2008.</ref>
 
{{ref-section}}
2 020

recensiones